Comunicação integrada e comprometida com o resultado!
(11) 3230-7434 | (13) 3304.7437
Facebook Twitter Flickr
Vida de Jornalista

sábado, 29 de março de 2014

O fim do release

Escrito por: Érica Amores - Diretora da Conteúdo Empresarial

No início da minha carreira fiz um curso de especialização em assessoria de imprensa que me trouxe muitas novas ideias e conceitos. Mas, o que mais me chamou a atenção naquele curso, e deixou muitos assessores e empreendedores intrigados, foi o fato da orientadora defender o fim do “press release”. Isso mesmo!

Quando ela entrou no tema, de repente, ficou escrito na “cara” da maioria dos participantes – jornalistas como eu, relações públicas e até publicitários – que dar por vencido o bom e velho release talvez fosse algo próximo da insanidade (risos).

Eu,por exemplo, quando estudei jornalismo, tive apenas um semestre sobre assessoria de imprensa. Lembro-me bem que algo muito martelado pelo professor foi a função e importância do release, de tal forma que, quando nos formamos na faculdade, chegamos a crer que a única coisa que um assessor precisava e deveria fazer o dia todo eram os tais releases. Quando, na verdade, o dia a dia de um assessor de comunicação ou imprensa é bem diferente, exige muito mais que redigir textos para jornalistas. Mas isto é tema para um outro post (risos).

O fato é que a jornalista defendia algo que nos assustou no primeiro impacto, mas rapidamente eu compreendi: o assessor de imprensa não pode usar forma de bolo e o release, como ferramente de trabalho, estava, sim, sendo utilizado por muitas agências de assessoria desta forma. Assim como cada cliente é um cliente e tem suas particularidades, é preciso fazer cada job de forma personalizada e o release também.

A proposta era simples: customização, ou seja, fim ao “release receita de bolo” e ênfase nas pautas direcionadas de acordo com a necessidade e linha editorial de cada veículo. Assim como temos uma impressão digital única, cada veículo tem o seu perfil. Não é nenhum absurdo criar pautas personalizadas para veículos diferenciados. Simples assim! Mas me diga: alguém te fala isso na faculdade? Não. Isso a gente descobre quando vai para o mercado de trabalho.

Além disso, outro segredinho que ninguém conta pra você quando está estudando: não é preciso ter um release para conquistar uma matéria. Uma boa ideia vale mais do que mil releases. Uma pauta, se bem trabalhada e oferecida para o veículo mais indicado, bingo! Meio caminho andado para a conquista de um bom espaço de mídia espontânea.

Confesso que vejo muita gente torcer o nariz, ainda hoje, muitos anos depois, a esta proposta, alegando que o formato “daria muito mais trabalho”. Mas acho que a questão aqui é muito mais de resistência. Nem todo muito gosta de abandonar o “arroz com feijão”. Problema disso: a possibilidade de potencializar o resultado do cliente fica diminuída.

Conclusão: Permita-se, reinvente-se, afinal, o assessor de imprensa de ontem, não é mais o de hoje e com certeza não será o de amanhã. Não se trata do fim do release, mas de como ele era quando fomos apresentados. E como ele será a cada novo trabalho.


COMENTÁRIOS

2 Comentários

  1. Renata Fiúza Aranha disse:

    Erica, é bem por aí… a comunicação hoje está cada vez menos de massa, e isso vale ainda mais nas relações B2B que é o caso da assessoria de imprensa e os jornalistas dos veículos. Para mim, que sou publicitária faço a seguinte analogia: release é a embalagem, mas o produto continua e sempre será a notícia. Nunca me esqueço de um assessor que atuei junto… eu cobrava resultados de mídia espontânea dele e ele me cobrava uma boa notícia… porque só assim conseguiríamos resultados… em meio a um turbilhão de informações para se noticiar. Penso que um bom relacionamento do assessor com o jornalista, uma boa notícia e uma linda embalagem compõe a receita de sucesso. Eu, como cliente, me pauto nisso… nível de relacionamento e boa embalagem… porque a notícia, essa é minha obrigação entregar para a assessoria. Adorei a sua ideia do blog! É uma forma de nos mantermos antenados com a atualidade da sua área. Muito sucesso, beijos, Renata.

  2. Érica Amores Érica Amores disse:

    Renata, obrigada pelo comentário. Ótima contribuição para o tema!! bjs

Deixe o seu comentário!

77 − = 70


Érica Amores

Idealizadora do Blog "Vida de Jornalista", Érica Amores é formada em Jornalismo, pós-graduanda em Marketing e, agora, blogueira!

Saiba mais



ÚLTIMAS POSTAGENS

FALE CONOSCO

São Paulo

Santos

São Vicente

contato@conteudoempresarial.com.br